Páginas

terça-feira, 17 de julho de 2012

A construção de um vaso

A construção de um vaso


A construção de um vaso (Jr 18. 1-6) Introdução:
Nem todas as pessoas são vasos de bênçãos.
Na verdade a Bíblia diz que Deus fez vasos de ira para que sua justiça fosse conhecida na terra (Rm 9.22) e vasos de misericórdia, para que sua benignidade também fosse conhecida entre os homens (Rm 9.23).
No entanto o requisito elementar de um bom vaso de barro e o material empregado em sua confecção. Infelizmente nem todo cristão e um vaso de Deus. Mas todo cristão pode tornar-se um vaso de Deus se entender as lições espirituais desta passagem.
O texto nos revela detalhes interessantes da forma como Deus trabalha em nossas vidas para molda-las para seu uso exclusivo.
Mas, agora, SENHOR, tu és o nosso Pai; nos, o barro, e tu, o nosso oleiro; e todos nos, obra das tuas mãos (Is 64.8).
1 – O processo cerâmico da produção de um vaso.
a) A escolha do barro (tem de ser um barro bom).
b) A confecção manual do vaso pelas mãos do experiente oleiro.

2 – As fases da construção de um vaso.
1ª fase – A escolha do barro. O barro existe em toda a superfície terrestre.
Segundo estudos há pelo menos 200 tipos de barro conhecidos, mas somente 8 tipos possibilitam a construção de um vaso. Alguns tipos de barro podem ser encontrados a céu aberto e outros em minas subterrâneas.
Há o barro magro que parte com facilidade quando trabalhado, e o barro gordo que possui mais maleabilidade e plasticidade. O barro precisa ser úmido e maleável (fácil de trabalhar, não pode ser duro).
Sabe o que isso significa? Dentre tantos você creu em Deus; Deus te escolheu (você e barro bom). Não importa se na escalada social você esta em baixo ou em cima; Deus vai trabalhar em você! Se seu barro e magro (fraco, sem liga) o Espírito Santo vai interligar suas fraquezas com o poder de Deus e vai torna-lo material de primeira linha para a olaria de Jeová.
2ª fase – O trabalho do oleiro com o barro.
A atividade de um oleiro requer muita dedicação e pratica. O caminho que conduz a perfeição e muito longo.
A tarefa de um oleiro e dar forma a uma porção de barro com as mãos e poucas ferramentas. O barro e colocado no centro de um prato giratório (a roda) e com os dedos posicionados, externa e internamente, levantam-se as paredes do vaso na forma e altura desejadas. Sabe o que isso significa?
E Deus quem define o tamanho e a forma do vaso que seremos!
E Deus que define o ministério que teremos!
E Deus que define os meios de nossa atuação em seu reino!
Deus trabalha no interior e no exterior de um crente. Um vaso de Deus tem de ser um servo de Deus autentico também!
3ª fase – A secagem do vaso úmido. Depois de confeccionado o vaso precisa ser levado a primeira etapa de secagem.
O vaso e depositado num forno de temperatura entre 200 a 900ºC.
Essa primeira queima elimina toda umidade e ar existentes no interior do vaso.
Um pouco de ar no interior do barro, poderá empenar, rachar ou ate mesmo explodir o vaso em seu
1º estagio de secagem.
Sabe o que isso significa?
Para ser vaso de Deus, além de forma temos que ter estrutura adequada. Quer dizer que temos de tirar de nosso interior todo orgulho, vaidade e egoísmo para sermos usados por Deus; temos de ser provados nas questões morais e espirituais. Um vaso de Deus não surge da noite para o dia, na verdade e um longo processo de provas com Deus.
4ª fase – A Pintura do Vaso.
O esmalte pode ser composto de elementos minerais e químicos.
Essa fase e muito importante, pois trará a beleza essencial ao então vaso de barro.
A aplicação do esmalte na peca ocorre de 03 modos.
Por imersão (segurando a peca com uma pinça ou com a própria mão e imergindo-a em um recipiente contendo esmalte); por derramado (derramando o esmalte sobre a peca); por pulverização (aplicando o esmalte com uma pistola de pintura acionada por um compressor de ar).
Sabe o que isso significa? Deus pode fazer um surpreendente milagre de mudança na vida de um cristão (imersão); Deus pode trabalhar rápido em elevar um cristão ao encontro de seu chamado (derramado); e finalmente Deus pode trabalhar lentamente preenchendo espaços vazios sérios na vida de um cristão (pulverização).
5ª fase – Fusão do esmalte com o barro. O vaso e levado a um outro forno de temperatura mais elevada. Esse processo e mais lento para que haja tempo do esmalte fundir-se completamente com o barro. E o momento em que a peca obtém sua cor definitiva. Esse processo realça a cor do vaso e torna a peça impermeável ficando a superfície mais lisa. Sabe o que isso significa? Que Aquele que começou a boa obra Ele mesmo a cumprira! Às vezes queremos mostrar para os homens que reunimos as qualidades e brilhos necessários para alguma tarefa. Mas na obra de Deus e preciso deixar o Senhor pintar as nossas vidas e ideais com as cores de sua vontade. Se Deus tem um plano em sua vida, não precisa contar pra ninguém, fique a disposição do oleiro celestial e tão logo Ele vai revelar a vigorosa vocação celestial que há em você!
6ª fase – O resfriamento do vaso. Terminada a 2ª queima do vaso há a necessidade de que o resfriamento da peça se de paulatinamente durante, pelo menos, o mesmo tempo de duração (08 horas de queima, 08 horas de resfriamento). Só após a temperatura baixar ate cerca de 200º C e que se poderá entreabrir a porta do forno. Passada uma hora depois e que se poderá iniciar a retirada das pecas que mesmo assim, ainda estarão bem quentes. Se este procedimento não for obedecido (resfriamento lento) há o risco das pecas racharem ao ocorrer o choque térmico – encontro com a atmosfera exterior mais fria. Sabe o que isso significa?
Apesar de Deus ter moldado a vida de alguém, confiando um ministério especifico, confirmando com poder a igreja e ao mundo esse ministério; deve-se ter cuidado para não entrar em choque com outras atmosferas fora do ideal de Deus.
O vaso de Deus orienta sua vida e ações na palavra de Deus.
O vaso de Deus e para gloria de Deus e não para sua própria glória.
O vaso de Deus centraliza Jesus em suas ações. Muitos tentam roubar os créditos do Senhor.
O vaso de Deus obedece ao pastor, dirigente e demais lideranças da igreja.
O vaso de Deus não dirige a igreja, e um instrumento de Deus na igreja.
O vaso de Deus que não se resfria racha!
Conclusão: Não conseguiremos jamais haurir todo o significado de uma passagem bíblica. A construção de um vaso com base neste texto fornece subsídios bem originais da forma com que Deus espera tratar conosco. Vamos nos colocar a disposição do oleiro celestial apenas como barro; e com certeza suas mãos hábeis e poderosas nos tornarão em vasos de adoração e louvor para gloria do nome Santo de Jesus!


Eu quero ser um vaso novo


Eu quero ser um vaso novo O profeta Jeremias foi chamado a descer à casa do oleiro para receber uma mensagem de Deus para a nação de Judá (Jr 18.1-6). Ali ele viu o oleiro trabalhando sobre as rodas, moldando o barro e fazendo dele um vaso novo. O vaso havia se estragado nas mãos, mas em vez do oleiro jogar o vaso fora, fez dele um vaso novo. Esse episódio encerra algumas preciosas lições:
1. Deus não desiste de você, mesmo quando você falha em cumprir seu propósito (Jr 18.4). O oleiro não jogou no lixo o vaso que se lhe havia estragado nas mãos. Ele não o colocou num canto como algo imprestável. Ele não desistiu desse vaso, mas fez dele um vaso novo. Assim, também, Deus não desiste de você. Mesmo quando você se torna como um barro sem liga ou como um vaso estragado, Deus continua investindo em sua vida. Ele não abre mão de fazer de você um vaso novo. Deus não desiste de fazer um milagre em sua vida. Ele não abdica do direito que tem de fazer de você um vaso de honra, um vaso útil, preparado para toda boa obra. Mesmo quando você cai, fracassa e se desvia, Deus não considera você como sucata imprestável. Ele não olha você com desprezo. Como oleiro divino, ele investe em sua vida e transforma você, para que você cumpra os propósitos eternos que ele mesmo estabeleceu para sua vida.
2. Deus não faz apenas remendos em sua vida; ele faz de você um vaso novo (Jr 18.4). O oleiro não remendou o vaso que se lhe havia estragado nas mãos. Ele não se contentou com meias medidas. Ele fez um vaso novo. A obra de Deus em você é completa. Ele faz de você uma nova criatura. Ele não quer apenas uma reforma externa, um verniz de aparência. Ele quer dar-lhe uma nova vida, uma nova mente, um novo coração, uma nova família, uma nova pátria. Deus tem para você uma vida nova, com novos gostos, novas preferências, novos alvos, novos sonhos, novos compromissos. A vida com Cristo é novidade de vida. É vida santa, é vida no altar, é vida cheia do Espírito, é vida abundante, maiúscula, superlativa, eterna. A obra de Cristo em você é um milagre extraordinário. Portanto, você deve despojar-se dos trapos da murmuração e revestir-se com as vestes de louvor. Você deve largar para trás o espírito angustiado e cobrir-se com roupagens de louvor e óleo de alegria.
3. Deus não faz de você um vaso segundo o seu querer, mas um vaso segundo o seu propósito soberano (Jr 18.4). Deus fez do vaso que se lhe havia estragado nas mãos um vaso novo, segundo bem lhe pareceu. A obra de Deus em você não é conforme os ditames da sua vontade, mas conforme os propósitos soberanos do próprio oleiro divino. Deus tem o melhor para você. Os planos de Deus para a sua vida são mais elevados do que os seus próprios sonhos. O projeto de Deus para a sua vida são mais altaneiros que os seus próprios projetos. A vontade de Deus e não a sua deve prevalecer em sua vida. Ele é o oleiro, e você o barro. Não é o barro que manda no oleiro; é o oleiro que molda o barro. O oleiro tem o direito de fazer do barro o que lhe aprouver. O oleiro divino que molda você é o mesmo que espalhou as estrelas no firmamento e o mesmo que lançou os fundamentos da terra. O oleiro divino está empenhado em esculpir em você a beleza de Jesus. Seu projeto eterno é transformar você à imagem do Rei da glória. Ele lhe predestinou para você ser conforme à imagem do seu Filho. Deus jamais desistirá desse projeto. Seus planos não podem ser frustrados. Se preciso for, ele vai quebrar o vaso e fazê-lo de novo. Mas, jamais vai desistir de fazer de você, um vaso de honra.

 Nas mãos do Oleiro

“Palavra do Senhor que veio à Jeremias, dizendo: Dispõe-te, e desce à casa do oleiro, e lá ouvirás as minhas palavras. Desci à casa do oleiro, e eis que ele estava entregue à sua obra sobre as rodas. Como o vaso que o oleiro fazia de barro se lhe estragou na mão, tornou a fazer dele outro vaso, segundo bem lhe pareceu. Então, veio a mim a palavra do Senhor: Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? – diz o Senhor; eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel.” (Jeremias 18:1-6)
São muitas as ilustrações que este texto das Escrituras nos traz; coisas práticas para observarmos em nossa vida cristã diária, como por exemplo:
1.É na casa do oleiro que o vaso é moldado. Se o Senhor Deus é o oleiro e nós somos os seus vasos, A IGREJA É A CASA DO OLEIRO, POIS A IGREJA É A CASA DE DEUS. É lá que somos tratados, moldados e remodelados por Deus. Aconteça o que acontecer, não se afaste da igreja.
2.Nós somos obra do Senhor e a cada dia ele nos molda para ficarmos segundo o desejo do Seu coração, segundo a forma que Ele planejou para que sejamos. Para nos moldar ele usa a “roda da vida”. Cada dia da nossa existência é como se fosse um giro dessa roda. Coisas boas e ruins acontecem, encontramos pessoas boas e ruins, tudo o Senhor Deus usa para moldar o nosso caráter, para nos fazer melhores.
3.Às vezes fazemos coisas erradas, pois estamos no meio de um aprendizado. Outras vezes são até mesmo erros graves; estragamos tudo, nos estragamo junto, mas, se estivermos nas mãos do oleiro ele fará de nós um outro vaso. Este é o segredo: nossa vida precisa estar sempre nas mãos de Deus. Eventualmente cometeremos erros, simplesmente pelo fato de não sermos perfeitos. Quando éramos criança e estávamos começando a andar, todos nós, sem exceção, caíamos ao tentar andar, mas, nossos pais nos ergueram a cada vez que caíamos. “O cair é do homem, mas o levantar é de Deus. Ouse andar com Deus” Se você cair, não ficará prostrado, pois o Senhor o levantará.
4.“tornou a fazer dele OUTRO VASO SEGUNDO BEM LHE PARECEU.” Isto precisa ser bem assimilado. Quando nos estragamos nas mãos de Deus ele faz um outro vaso, um vaso novo segundo bem lhe parece. Não seremos mais os mesmos. Temos que esquecer o passado e partir para o futuro confiantes na misericórdia do Senhor que é grande. Não adianta viver na nostaugia, na saudade daqueles tempos, etc. temos que olhar para frente, agirmos como vasos novos, prontos para sermos cheios de coisas novas. Quando Deus faz um vaso novo, na minha opinião, Ele o faz melhor do que o anterior. Querer ser o mesmo vaso de antes traz lembranças ruins, frustração… encarar o fato de que se é um vaso novo traz desafio.
5.O barro só pôde ser reaproveitado porque estava mole, maleável. A água, a chuva é um símbolo do Espírito Santo. A ação dEle em nossas vidas nos faz maleáveis. Exponha-se à ação do Espírito em sua vida. Deixa Ele amaciar você. Para melhor entendimento do que estou falando, vamos ler a respeito de outro vaso, no mesmo livro do profeta Jeremias exatamente no capítulo seguinte, o 19. Parece que pela ordem em que o assunto foi abordado, Deus estava querendo comunicar-nos algo.
Jeremias 19: 1, 2 : “Assim diz o Senhor: Vai, compra uma botija de oleiro e leva contigo alguns dos anciãos do povo e dos anciãos dos sacerdotes. Sai ao vale do filho de Hinom, que está à entrada da Porta do Oleiro, e apregoa ali as palavras que eu te disser…” v. 10 “Então, quebrarás a botija à vista dos homens que foram contigo e lhes dirás: Assim diz o Senhor dos Exércitos: Deste modo quebrarei eu este povo e esta cidade, como se quebra o vaso do oleiro, QUE NÃO PODE MAIS REFAZER-SE…”
Isso não é interessante? No capítulo 18 lemos sobre um vaso que se estragou e encontrou recuperação e aqui, no capítulo 19 lemos de um vaso que, sendo quebrado não pode ser recuperado. Porque? Muito simples. Aquele estava mole, maleável, tratável, corrigível; este, endurecido pelo tempo, já estava seco. Cuidemos, pois, das nossas vidas para que não fiquemos com os corações endurecidos, secos e sejamos quebrados de uma só vez.
Espero que estas breves letras o impulsione para estar mais perto de Deus. Seu lugar deve ser nas mãos do Oleiro Celestial.
  
O Vaso e o Oleiro

O Vaso e o Oleiro O vaso e o Oleiro
O desejo humano e a vontade de Deus
“Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós”. ( II Coríntios 4:7)
Por volta dos anos de 1047-1956 foi encontrado no meio das montanhas de Qunram os antigos pergaminhos do antigo testamento. Este verdadeiro tesouro arqueológico que certificou a palavra de Deus como prova científica e histórica só foi possível ser encontrado, pelo fato destes escritos estarem “centrados” em vasos feitos de barro e mesmo estando por um longo tempo escondido no “tempo certo” pode ser “descoberto” para comprovar a veracidade que tudo que o Senhor falara e era passado oralmente de geração a geração pelos judeus.
Muitos podem perguntar: O que isso tem a ver com este artigo: o vaso e o oleiro. Leia até o final e você entenderá.
Mas lembre disso: “A palavra de Deus só pode ser descoberta, porque estavam “centrados” em “vasos de barro”.
O que é o barro ?
O BARRO
Quando falamos em barro o que nos lembramos. Normalmente nos lembramos de um sedimento formado de terra e água que nada serve a não ser sujar e ser pisoteada pelos nossos pés. Mas quando vemos um barro, um sedimento, uma argila nas mãos do oleiro, ficou maravilhado o que pode sair de algo sem valor em algo valioso em extremo. Só que muitas vezes, por não entendermos do que fomos feitos, como e para que fomos feitos, acabamos não dando valor naquilo que Deus fez.
A palavra de Deus diz :
“Então formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou as narinas o fôlego de vida e o homem passou a ser alma vivente” (Gn 2:7).
Pois Ele conhece a nossa estrutura e sabe que somos pó (Salmos 103:14)
Neste versículo podemos ver um Deus criador, conhecedor da estrutura de sua criação, formando de algo aparentemente sem valor para algo útil para sua glória.
Depois de ter formado o homem e ter colocado o fôlego de vida a primeira coisa que o Senhor fez foi colocar o homem no Éden para servir, ou seja, lavrar e o guardar (Gn 2:15) e depois disso liberou uma palavra da parte Dele em forma de ordenanças.(Gn 2:16).
Primeiramente devemos entender que fomos criados para servir e obedecer e Deus.
A partir da queda pela desobediência no Éden que essa relação foi rompida e um grande conflito se estende até hoje, entre a criatura e o criador, a vontade de Deus e o desejo humano. Foi esse o motivo da queda e do pecado. Como barro, muitas vezes não temos estrutura suficiente, mas existe um ingrediente nesse barro que se chama “orgulho” que faz com que nos achamos mais do que nós realmente somos. Não temos estrutura ainda e precisamos de “ALGUÉM” para estruturar as coisas. O Senhor é o Oleiro, o Estruturador de todas as coisas, mas achamos que temos estrutura, que temos forma como Deus. É aí onde reside o perigo. É onde o nosso desejo sufoca a vontade de Deus. Quando agimos soberbamente em auto-suficiência, acabamos pecando e contendendo com Deus. Diz o profeta Isaías;
Ai daquele que contende com o seu Criador! O caco entre outros cacos de barro! Porventura dirá o barro ao que o formou: Que fazes? Ou dirá a tua obra: Não tens mãos? Ai daquele que diz ao pai: Que é o que geras? E à mulher: Que dás tu à luz?(Is 45:9-10).
Deus criou todas as coisas e sabe quem somos. Porém o Senhor espera que seja “nosso desejo” servir e obedecer a Ele. O Senhor é um Pai criador, que não somente nos forma, mas também que nos compreende.
Mas agora, ó Senhor, tu és nosso Pai; nós somos o barro, e tu o nosso oleiro; e todos nós obra das tuas mãos. (Is 64:8)
O Oleiro
Se observarmos um Oleiro em seu trabalho, podemos também entender o trabalho de Deus conosco.
1) O Oleiro centraliza -O primeiro passo é quando o Oleiro centraliza o barro. Podemos entender com isso que se quisermos ser usados e “moldados ” por Deus, devemos estar no centro de Sua vontade. Dificilmente alguém poderá ser usado e fazer a vontade de Deus se Cristo não for o centro.O Oleiro precisa centralizar o barro se não pode espirrar para fora todo o molde. Muitas vezes por não estarmos centrados em Deus acabamos saindo pra fora daquilo que Deus quer formar em nós. Quando são os exemplos na Bíblia de pessoas que foram espirradas, por não quererem estar no centro da vontade de Deus.
2)O Oleiro tira excessos e molda – Muitas vezes temos excessos em nossas vidas que não agrada a Deus, tais como mentira, vaidade, orgulho e soberba. Não adiante em nada o Senhor formar um lindo vaso por fora, se dentro existe toda sorte de excessos. Excessos que por tempos foram fazendo do vaso algo somente bonito para se ver e não para se ter. Quantas vezes o Senhor como Oleiro, quis tirar alguns excessos, mas muitos vasos, por orgulho, não quiseram ser moldados. Muitos não querem “descer” a casa do Oleiro e serem trabalhados por Deus. Muitos querem “subir” e estar diante do trono, mas poucos estão dispostos a “descer” a casa do Oleiro, para ser moldados.
Muitos têm medo de se entregar ao Oleiro para que Ele possa fazer o molde conforme a Sua vontade. Muitos querem viver com seus excessos, centrados em si mesmos, sendo moldados segundo os padrões deste mundo. Muitos querem andar segundos “seus projetos”, fazendo seguindo a dureza do coração maligno e vivem fazendo o que é mal perante Deus(Jr 18:12).
Embora queiram “ser usados” por Ele, praticam abominações que desagradam a Ele.
Vemos que o Oleiro coloca a mão para dentro do vaso para o molde. Deus não quer apenas nos mudar naquilo que é externo, mas naquilo que é interno, que está dentro, que vem do coração. O Oleiro sabe que é mais fácil moldar naquilo que é interno, pois mudando isso o vaso estará “quase pronto”. Mudando e moldando aquilo que é interno, o externo será apenas uma questão de retoque. O Senhor sabe que mudando o coração de uma pessoa, Ele pode transformar o resto, seu modo de pensar, de falar, de agir e etc… Mas ainda falta o processo final, o do fogo.
3) O Oleiro passa o vaso pelo fogo – Como havia dito, depois do molde interno o vaso está “quase pronto”, mas falta ainda um último processo, o do fogo. O último processo do vaso é o do fogo. O fogo é o que tira o mau cheiro no vaso que são nossos pecados incrustados e serve para purificar e fazer resistente o vaso.
“Não é a minha palavra como fogo diz o Senhor, e como martelo que esmiúça a penha?” (Jr 23.29)
“Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo” ( MT 3:11 – LC 3:16).
Sua palavra sem o Espírito Santo é pura letra e religiosidade
O Espírito Santo sem sua palavra é puro barulho e heresia.
É por isso que temos em nossas igrejas, muitas pessoas debilitadas em crer em Deus. Falta a palavra e Seu Espírito. Falta conhecimento da palavra de Deus. Falta também o Espírito de Deus para trazer “entendimento” dessa Palavra. A transformação real só virá através disso. O fogo representa também o juízo de Deus na obra do Espírito Santo. Muitos acham que este fogo é apenas os dons e o poder de Deus dados pelo Espírito Santo.
O verdadeiro cristão passará pelo fogo da Palavra de Deus. Muitas têm rachado nesse processo, pois acabam vivendo uma vida de religiosidade (como um vaso bonito externamente), que acaba não resistindo ao tempo. Não se engane no fogo todas as coisas serão manifestas. (I Cor 3:10-15).
Amados, o Senhor também nos imergiu, no encheu com Seu Espírito Santo para testificar e revelar a Sua mensagem ao homem por Jesus(Jo 15:26-27). Através da Sua Palavra pelo Espírito, Ele convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16:8-9). Muitos não entendem e se vangloriam como “vaso usado”, mas por não terem passado pelo “verdadeiro fogo”, acabam suas vidas sendo sucumbidas pelo pecado”. Na nossa nação por exemplo tivemos casos de “famosos vasos” que caíram em adultério e prostituição. Muitos esquecem que na obra que o Espírito Santo faz ,o Senhor nos molda com relação ao zelo por Ele ,a integridade, a pureza, a santidade,a humildade e ao temor do pecado. Também muitos esquecem que são vasos de “barro” suscetíveis a serem rachados e quebrados , quer por Deus, quer pelos seus pecados.
Nosso Deus é justo juiz, é fogo consumidor (Hb 12:29), que não tolera o pecado , a iniqüidade e apostasia da Sua Palavra. Mas que preza pela santidade, um dos seus atributos. E deseja que sejamos como Ele é, ou seja, SANTO.
E vontade do Senhor que cada um saiba possuir próprio corpo, ou seja, o vaso em santificação e honra. (I Ts 4:4)
Pois vós sabeis que preceitos vos temos dado pelo Senhor Jesus.
Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição,
Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santidade e honra, não na paixão da concupiscência, como os gentios que não conhecem a Deus. ( I Tessalonicenses 4:2-5)
Embora o Oleiro saiba que numa grande casa existam diversos utensílios, alguns pra honra; outros porém para desonra, aqueles que desejam ser “vasos para honra” devem se santificar, se purificar através da obediência e temor a palavra de Deus (I Pe 1:22-23)
Se, pois, alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e útil ao Senhor, preparado para toda boa obra. …(II Timóteo 2:21).
Devemos entender que o Senhor fez de tudo para que seguíssemos segundo a vontade. Ele deu a Sua palavra e nos encheu com Seu Espírito para que façamos a sua obra. Paulo disse que sofreu para cumprir a palavra de Deus e levar sua mensagem e o mistério que é Cristo em nós, a esperança da glória. Que é possível fazer vontade de Deus por Cristo, ensinando e admoestando pela palavra o homem para se apresentar todo homem perfeito em Cristo (Cl 3:1). É vontade de Deus que sejamos como aquelas cartas manuscritas achadas nas montanhas, integram no conteúdo, portadoras da Sua palavra. Que sejamos referência, não somente mensageiros, mas cartas vivas de Deus nesta terra escrita não com tinta, mas pelo Espírito de Deus vivente, não em vasos ou tábuas de pedra, mas em tábuas de carne: nossos corações. (2 Cor 3:1-4).
Portadores destes tesouros, que é sua palavra, mas sabendo que a excelência sempre será do Senhor e não de nós.

Vasos para honra

2 TIMÓTEO 2.14-26 Ora, numa grande casa não há somente utensílios de ouro e de prata;
há também de madeira e de barro. Alguns para honra; outros, porém,
para desonra. (2Tm 2.20.)
Um jovem chinês foi chamado pelo Senhor para servir-lhe como pregador
e mestre da Palavra. Entretanto, por ser muito culto e cheio de vida, seus
colegas do tempo de universidade escarneciam dele, dizendo:
“Você está desperdiçando a sua vida! Olhe como está no ostracismo,
escondido. Ninguém nem ao menos sabe que você existe, e poderia ser um
grande homem no mundo dos negócios e da política.”
E, com o passar dos dias, Watchman Nee escreveu, pregou e, finalmente,
foi preso. Impedido pelo governo chinês de continuar falando do seu Deus,
na prisão, ele continuava inspirando vidas. Seus escritos são conhecidos no
mundo inteiro. E, como vaso para honra, preparado e útil ao seu possuidor,
assim foi a sua vida até o fim. O mundo não conhece os amigos que escarneceram
dele, mas seu nome e a sua vida são inspiração para milhares. Seus
livros são lidos pelos cristãos em todos os continentes e apreciados pelas
verdades maravilhosas de Deus ali expostas.
Que possamos ser vasos para honra nas mãos do Senhor. Para isso, é
preciso que nos santifiquemos e evitemos o mal, vivendo tão-somente para
agradar ao Senhor.
Sou apenas um pedaço de barro
Tirado por Deus da beira do rio do mundo.
Eu estava ali, triste, feio, imundo,
Quando ele veio e para a sua casa me levou,
E me transformou.
E me perdoou, me lavou com seu sangue precioso
E me deu forma e me fez valioso.
Pai, em tua presença quero sempre viver. Sentir tuas mãos a
me tocarem, moldando o meu ser, fazendo-me belo, à imagem
gloriosa de meu Salvador. Amém
  
Temperatura Espiritual do Cristão
Muitos falam a respeito do primeiro amor e sobre frieza espiritual. Queria tratar hoje sobre todos estes pontos de forma bem rápida.
A temperatura espiritual do cristão é medida pela vida de oração que ele tem. Pela sede que ele tem por conhecer mais a Deus e por sua devoção e piedade. Não existe um cristão que esteja no primeiro amor que não queira sempre mais de Deus, que troque a presença de Deus por qualquer outra coisa fútil.
O que o Senhor diz em Apocalipse 2:4,5 Contra você, porém, tenho isto: você abandonou o seu primeiro amor. Lembre-se de onde caiu! Arrependa-se e pratique as obras que praticava no princípio. Se não se arrepender, virei a você e tirarei o seu candelabro do seu lugar.
Se você não estiver no primeiro amor, você está em pecado! É isso mesmo. Quando você diz que outros novos estão no primeiro amor e se coloca como mais frio porque tem mais tempo de caminhada, você está errado. Seu amor deve aumentar ainda mais. Cada vez mais próximo de Deus, cada vez mais convicto do pecado, cada vez sabendo mais sobre a bondade e amor de Deus que nos fazem nos apaixonar ainda mais por quem Ele é.
Se esse amor não tem aumentado, fica a exortação de Apocalipse 2:5 para você.
Sua temperatura espiritual influencia as pessoas ao seu redor. Se você é uma pessoa que ora, as pessoas ao seu redor serão constrangidas a orar mais. Quando você busca ao Senhor e seu coração queima por ele, as pessoas ao seu redor te terão como exemplo a ser seguido. E o contrário também ocorre. Se você não ora, não tem um modo de viver piedoso, as pessoas vêem isto e tendem a seguir o mau-exemplo.
Em Apocalipse 3: 15, o Senhor Jesus diz à Igreja de Laodicéia: Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!
Laodicéia ficava entre duas cidades: Hierápolis e Colossos. Na primeira existiam fontes de águas quentes, termais. Lugar este que era visitado pois tinha um poder curador. Na segunda existiam águas frias, era conhecido como lugar de refrigério. Quando essas águas se encontravam em Laodicéia, tais águas se tornavam mornas e não serviam para mais nada.
O Senhor te diz: Conheço as tuas obras, que nem és frio como as águas de Colossos, lugar de refrgério, e nem quente, como as águas de Hierápolis, com poder medicinal mas porque você é morno, perdeu a sua funcionalidade, seu primeiro amor, estou a ponto de vomitar-te de minha boca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...